3 de abril de 2011

Planeta Curioso - O que se passa na cabeça dos animais?



Vacas são fofoqueiras, golfinhos são sádicos, elefantes ficam de luto e não pára por aí... estudos provaram que alguns animais possuem consciência, são muito espertos e ainda são capazes de sentir emoções muito complexas até mesmo para nós, míseros humanóides.


Uma barata é só uma máquina programada para encontrar comida e fugir de chineladas. Uma barata não sabe que é uma barata. Você não teria nojo de você mesmo se acordasse como uma - só iria pensar em comer uma lata de Nescau na cozinha. Mas um golfinho sabe que é um golfinho. Um elefante sabe que é um elefante. Um cachorro sabe que é... gente. Oo


A ciência não aceitava isso. Dividia tolamente a vida entre "humanos" e "animais" - como se uma baleia tivesse mais a ver com uma ameba do que com você. A noção geral dos cientistas hoje é bem mais complexa: a diferença entre as nossas faculdades mentais e as dos gatos, chimpanzés e periquitos seria de grau, não de tipo. É como comparar um Porsche com um Fusca: há uma clara diferença de nível entre eles, mas ambos são carros. E saíram da prancheta do mesmo projetista. 


O próprio Charles Darwin é um precursor da noção moderna de como a ciência vê os animais. Para o homem que descobriu a identidade do projetista de homens e animais (a seleção natural), a mente parecia seguir uma certa continuidade ao longo da evolução das espécies. Os bichos mais abaixo na escala evolutiva também teriam inteligência e sentimentos, só que em níveis distintos. E Darwin estava certo. "As evidências de hoje indicam que muitosanimais sentem alegria, tristeza, pena...", diz o biólogo Marc Bekoff, da Universidade do Colorado.


Vamos para alguns dos resultados obtidos nestas pesquisas:


Chimpanzés sentem vergonha!

E tem muita gente por aí que nem sabe o que é isso!

Gatos emitem uma súplica de alta frequência, que dispara um senso de urgência no cérebro humano.


É tanto drama que ninguém consegue resistir! Pode?

Cães são os únicos bichos que sabem o que você está pensando: olhando nos olhos, eles podem detectar o nível de atenção dos donos e atuar de acordo com ele.

E atuam muito bem. É aquela coisa de "cara de um focinho do outro".

Pássaros amam. Mais de 90% das aves são monogâmicas.

O índice de fidelidade é MUITO maior em aves do que em humanos!

Golfinhos, têm um lado sádico: se aproximam sorrateiramente de gaivotas que descansam na água, dão um caldo nelas e as liberam depois de mantê-las alguns segundos debaixo d’água, sofrendo. 

Olha essa cara de sacana... Nunca me enganou!


Clique aqui para ver estes e outros resultados das pesquisas publicados na revista "Super interessante".

E você aí se achando tão superior.